14 agosto 2013

Resenha: A Culpa é das Estrelas


Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 288
Ano: 2012


 A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. (Skoob)




 Não tenho palavras para descrever esse livro, mas no começo da leitura, pensei: Como um livro tão "simplesinho" ganhou tantos elogios e uma nota altíssima no Skoob? Foi na metade do caminho que comecei a ter sentimentos conflitantes, até que acabei a leitura, depois de tantos risos e choros (esse foi o segundo livro que li na vida, depois de Jardim de Inverno, que me fez chorar), e vi que tinha mais um favorito na minha lista seleta de livros.

 Em A Culpa é das Estrelas conhecemos Hazel Grace, uma menina que dezesseis anos que há três, foi diagnostica com câncer de tireoide que também se espalhou para os plumões. Graças a um medicamento novo, o tumor de Hazel diminuiu bastante de tamanho, fazendo ela ganhar mais alguns anos de vida, mas ainda assim, precisa carregar para cima e para baixo um cilindro de oxigênio para ajudá-la a respirar.

 Devido a doença, Hazel acaba ficando um pouco depressiva, passando boa parte do dia em casa assistindo America's Next Top Model, ou lendo e relendo seu livro favorito, Uma Aflição Imperial, o que logo preocupa a mãe dela. Com o pretexto de que Hazel merece uma "vida", a mãe dela a obriga a frequentar o grupo de apoio da igreja para jovens com câncer, o que é o maior tédio, até o dia em que conhece Augustus Waters, um adolescente de dezessete anos com sorriso fácil e olhos incrivelmente azuis, que foi um dia no grupo de apoio a pedido de seu amigo Isaac.

 Augustus (Gus) e Hazel logo tornam-se amigos, e o compartilhamento da leitura do livro favorito dela, Uma Aflição Imperial, só reforça ainda mais essa amizade. Ambos, em busca de respostas não ditas no livro, tentam localizar o autor Peter Van Houten que há anos, vive recluso em algum lugar no mundo.
 Hazel tenta não se aproximar muito das pessoas, pois quando morrer, não quer deixar as pessoas que ama tristes, mas como resistir ao interessante, carismático e sarcástico Gus Waters?

 A Culpa é das Estrelas foi uma leitura que me ganhou aos "pouquinhos", para ser sincera, quando comecei a ler, achei a história bem parada e por isso não estava conseguindo entrar no clima do livro, mas do meio para o final, Meu Deus, sem querer me vi completamente apaixonada pelos personagens, como se eles fossem velhos (e doidos) amigos, e como eu estava prevendo, sofri com cada passada de página e tomei aquele susto e senti aquela dor no peito mesmo quando o que se já era esperado acontece.
 Às vezes paro e fico pensando, bem, para mim esse livro é além da tristeza, é um livro sobre amor e amizade, que me fez refletir sobre muitas coisas. Depois que terminei de ler, a história permaneceu na minha mente por um tempão, mal consegui pensar em outra coisa.

 As personagens são incríveis, Hazel, narradora da história, é super inteligente, ama ler e leva a vida do jeito mais verdadeiro possível, ela quer se afastar das pessoas tanto por não querer magoá-las tanto por querer se ver longe dos olhares de piedade (que ela tanto odeia) de outras. E também tem o maravilhoso Augustus, que adora compartilhar seus devaneios loucos com os não menos loucos e inteligentes de Hazel, vive a vida com bom humor apesar de tudo pelo que passou e o que ainda passa, e faz piadas (não maldosas) de seus amigos, tem como um irmão seu melhor amigo Isaac, que também adorei, e ainda é romântico.
Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.
 E no final das contas, A Culpa é das Estrelas foi como Uma Aflição Imperial, senti que faltou algo, mas adorei o livro e ele entrou para os meus favoritos, mal posso esperar para ler outros sucessos de John Green! Agora é esperar a adaptação do livro (que estou com medo de fazerem besteira) que já tem elenco confirmado. Ainda não leu? Leia e venha se apaixonar também.

Um comentário:

  1. Quando comecei a ler o livro também me perguntei um pouco porque do sucesso todo. Mas essa questão foi explicada logo, porque não demorou muito para que eu me apaixonasse pelos personagens, pela escrita, por tudo! <3

    Também entrou para a minha lista de favoritos!

    tatimunhoz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, assim que possível retribuirei a visita.
Todas as perguntas serão respondidas aqui.
Beijos